Para aqueles que gostam de pescar mas reclamam que na maioria das vezes não conseguem “pegar quase nada” segue algumas dicas de como pescar em rios e aumentar a chances de obter sucesso com os peixes.

O primeiro passo é ter sempre em mãos os equipamentos pessoais básicos como boné ou chapéu para evitar problemas com o sol, repelente (spray e não loção) e muita água para se hidratar.

O equipamento de pesca também é muito importante, pois eles devem ser proporcionais ao tamanho e espécies dos peixes existentes no local e para isso é sempre bom conhecer o rio ou colher informações com quem já o conheça.

Por fim o fator mais importante de todos é a isca que será utilizada de acordo com as espécies de peixes que habitam o rio.

Alguns peixes se alimentam de folhas, crustáceos, peixes, insetos ou frutas.

 

 

Se no rio existir algumas espécies de peixes carnívoros, uma isca artificial poderá ser bastante satisfatória.

Havendo peixes que se alimentam de frutas ou insetos, o ideal é pescar embaixo de uma árvore, pois os peixes costumam ficar por perto aguardando alguma fruta ou inseto cair.

Já os peixes que se alimentam de folhas procure um local onde possua bastante capim, pois certamente eles irão encostar-se ao barranco para procurar alimentos.

Segue abaixo algumas dicas de iscas utilizadas para determinadas espécies de peixes:

Pacú – acerola, jabuticaba, pitanga, coquinho, goiaba, massas, queijos, salsicha, mortadela e milho.

Tilápia – milho, larvas, ração para peixe e massas.

Traíra – iscas artificiais ou peixes.

Tucunaré – iscas artificiais ou peixes.

Pintado – peixes, salsicha.

Piau – milho e massas e larvas ou caramujos.

A minhoca é uma isca “universal” que atrai todos os peixes que foram mencionados.