Vírgulas são usadas de acordo com a regra gramatical, porém muitas pessoas não sabem como usá-la e acabam colocando vírgulas onde não precisa e deixando de utilizá-las quando há necessidade. Vejam a seguir como se usa vírgula e conheça mais sobre essas regras.

Quando a frase está nessa ordem “o que ou quem, como, onde e quando” não precisa de vírgula e não necessariamente precisa ter todas essas informações, apenas a sequência correta. As vírgulas são usadas quando a frase foge dessa ordem.

Exemplo: Victor foi de carro para a escola ontem.

Análise da frase:

Victor é o sujeito (o que ou quem);

Foi de carro (como);

Para a escola (onde);

Ontem (quando).

Nessa sequência não precisa de vírgula, mas se você inverter a ordem terá que colocar vírgula.

Exemplo: ontem, Victor foi de carro para a escola.

 

 

Também se usa vírgula depois de vocativos.

Exemplo: Victor, vamos fazer texto? (Nesse caso, “Victor” é o vocativo).

Outro exemplo: Queridos, mantenham a casa arrumada. (o vocativo é a palavra “queridos”).

Usa-se vírgula no caso de aposto (refere-se ao termo anterior).

Exemplo: Victor, irmão do Danilo, escreve muito bem (o aposto é a frase “irmão do Danilo” que se refere ou explica o termo anterior que é “Victor”).

Outro exemplo: foram eles, os meninos, que quebraram o vidro (o aposto é “os meninos” que se refere ao termo anterior “foram eles”).

Também se usa vírgula antes da palavra “pois”, em expressões explicativas ou correlativas.

Exemplo: as indústrias não querem abrir mão de suas vantagens, isto é, não querem deixar seus lucros.

Outra regra é para omitir o verbo sem repeti-lo duas vezes.

Exemplo: nós queremos pizza; e vocês, churrasco. (para isso é necessário o uso da vírgula com ponto ao terminar a primeira frase)

1ª frase: nós queremos pizza.

2ª frase: vocês querem churrasco.